A dor, ao contrário do que possa parecer, é um sinal muito importante, que nos alerta para situações que podem ser prejudiciais. Se colocarmos a mão num sítio muito quente, temos tendência a afastá-la, porque dói e não nos queremos queimar. Podemos dizer que a dor é fundamental para a nossa sobrevivência, porque nos faz reagir a vários perigos.

No entanto, quando a dor se prolonga no tempo, durante anos e anos, associada ou não a alguma patologia, essa situação pode tornar-se insuportável. É a chamada dor crónica.

A expressão “não mata mas mói” pode aplicar-se na perfeição à dor crónica. Há quem viva uma vida inteira com dores. Mais ou menos fortes, mais ou menos incapacitantes (dependendo do caso), mas uma coisa é certa: esta situação prejudica seriamente a qualidade de vida de quem passa por isso.
Alteração das capacidades funcionais, afastamento social, problemas em dormir ou problemas psicológicos, são apenas algumas das consequências da dor crónica.

Este tipo de dor é muitas vezes associado às doenças oncológicas, no entanto, doenças como a fibromialgia, cervicalgia, lombalgia, osteoporose, etc., podem também originar dor crónica. Ela pode ser inicialmente aguda (é a reacção do nosso organismo a uma agressão externa), passando ao longo do tempo a crónica, por não ter sido bem tratada, por não ter sido tratada no imediato, por factores psicológicos… enfim, há uma série de razões que fazem com que a dor aguda se transforme em crónica.
Em alguns casos, pode até já não estar associada a uma doença/lesão, mas a dor permanece.

Muitas pessoas acham que viver permanentemente com dor é algo normal, que devem aceitar, que já faz parte dos seus dias. Mas não é. Não tem que se habituar à dor, nem passar a vida a tomar medicação.

A dor crónica é uma das áreas onde a acupunctura mais actua e faz a diferença, através da estimulação neurológica de receptores específicos no corpo onde estão localizados os pontos de acupunctura, libertando desta forma substâncias químicas no sangue, fazendo com que a dor e a inflamação diminuam.
O número de sessões necessárias depende de cada caso, mas é possível que no primeiro tratamento note algum alívio da dor.

Muitas vezes, os tratamentos de acupunctura são complementados com outras técnicas de Medicina Chinesa, como a massagem Tuiná. Tudo depende da situação e da avaliação do médico.

Não se esqueça: ter dor não é normal, não tem que viver assim!

Facebook Comments

Clínica Nuno Barbosa - Rua da Quinta do Charquinho 13D, 1500-530 Lisboa, Portugal

Morada

Rua da Quinta do Charquinho 13D, 1500-418 Lisboa, Portugal

Social

Consultoria Digital & Web Design por Seize Your Biz | Nuno Barbosa - Todos os Direitos Reservados | Política de Privacidade

Pin It on Pinterest

Share This