fbpx

O Relatório do Programa Nacional para a Saúde Mental, divulgado no passado mês de Outubro pela Direcção Geral de Saúde, no âmbito do Dia Mundial da Saúde Mental, refere que Portugal tem a maior taxa de consumo de calmantes da Europa. Cerca de 10% da população consome calmantes diariamente, sendo que são as mulheres que mais consomem estes fármacos.
Em 2016, quase 2 milhões de portugueses compraram (pelo menos) uma embalagem deste tipo de medicamentos.
O consumo de medicamentos que controlam a hiperactividade nas crianças e jovens continua igualmente muito elevado.

Praticamente todos os dias nos sentimos pressionados por alguma razão. Ou porque as contas não páram de chegar, ou porque não estamos a conseguir conciliar o trabalho com a vida pessoal, ou porque somos demasiado perfeccionistas e não queremos (ou melhor, não podemos!) falhar em nada. Quem nunca…?

Lidar com tudo isto não é fácil para ninguém e é um autêntico desafio. Sintomas como a dificuldade de concentração, cansaço ou irritabilidade podem ser sinal de ansiedade.
A toma de calmantes pode ser uma ajuda num determinado momento da nossa vida (devidamente receitados pelo médico), mas não é uma solução efectiva.

É fundamental cuidarmos de nós, conhecermo-nos e percebermos os nossos limites.
Dormir bem, fazer uma alimentação saudável, praticar exercício físico e algumas técnicas de relaxamento (como a meditação ou a massagem) são alguns hábitos fundamentais, que ajudam a equilibrar a nossa mente e tornar-nos mais resistentes aos dias de maior stress. Claro que nem sempre é suficiente, mas é um excelente começo, para promover a saúde física e mental.

Além disso, procurar apoio psicológico ou psiquiátrico pode também ajudar-nos a conhecer-nos melhor, perceber e aceitar o que se passa, para podermos começar a trabalhar na recuperação.

Também a Medicina Chinesa dispõe de várias técnicas, que visam o reequilíbrio da energia vital, algo comum a todos os seres vivos, procurando esta harmonia através dos cinco elementos (fogo, terra, metal, água e madeira).
Ela vai, antes de mais, identificar e avaliar as causas deste desequilíbrio, para estabelecer um diagnóstico adequado ao paciente.
Os tratamentos irão promover a libertação de endorfina e serotonina no organismo, hormonas associadas ao bem-estar. Desta forma, os estados de ansiedade, stress e depressão são apaziguados.
Por exemplo, na acupunctura, há vários pontos, situados principalmente no tórax, couro cabeludo e pulsos que, trabalhados, são bastante eficazes no tratamento destas situações de stress e ansiedade.

Este tratamento funciona a longo prazo, não sendo necessário recorrer a químicos e não tendo efeitos secundários no organismo.
Se estivermos em equilíbrio, tanto físico como mental, tudo fluirá melhor.

Facebook Comments

Clínica Nuno Barbosa - Rua da Quinta do Charquinho 13D, 1500-530 Lisboa, Portugal

Morada

Rua da Quinta do Charquinho 13D, 1500-418 Lisboa, Portugal

Social

Consultoria Digital & Web Design por Seize Your Biz | Nuno Barbosa - Todos os Direitos Reservados | Política de Privacidade